Viração promove diálogos sobre Migração e os impactos para jovens e crianças

Evento fortalece a importância de políticas públicas e informações para a proteção e integração dos migrantes
Por Rhafaela Resende, assistente de comunicação da Viração

A Viração Educomunicação promoveu, no dia 01 de março, o segundo Webinário que faz parte da programação especial de 20 anos da organização. “Além das Fronteiras: Diálogos sobre Migrações e Direitos Humanos” reuniu três mulheres profissionais que atuam na educação e migração, para dialogar sobre os desafios para manter as garantias de direitos humanos para pessoas migrantes e em situação de refúgio, principalmente crianças, adolescentes e jovens.

A partir da pergunta norteadora  “Quais migrações atravessam a sua história e a história da sua família?”, a assistente social Joyce Gutierrez que atua no Centro de Apoio e Pastoral do Migrante (CAMI), a pesquisadora e educadora do Centro de Referência e Atendimento para Imigrantes – CRAI Oriana Jara, Mona Perlingeiro e a coordenadora de Educação no Instituto Pirilampos, em Boa Vista (RR) e especialista em atividades de educomunicação voltadas para adolescentes e jovens migrantes, Yulibeth Carpintero falaram sobre suas experiências, desafios e vivências no Brasil no cenário da migração, sobretudo dos desafios enfrentados quando o recorte é sobre o impacto desse fenômeno na vida de crianças e adolescentes. Juntas, enriqueceram o debate respondendo a perguntas recebidas do público ressaltando a importância de espaços de debate como esse.

Entre os eixos importantes da discussão sobre a promoção e a defesa dos direitos humanos dos jovens, crianças e adolescentes em processo de migração, esteve a garantia à educação, à segurança e acolhimento humanizados, o direito à informação e a serviços básicos, a necessidade de criar políticas públicas adaptadas aos diferentes cenários e regiões em que pessoas migrantes estão inseridas. Um diálogo importante que resultou de forma positiva e integrativa em articulações indispensáveis para o tema.

“A gente está em sociedade e a gente constrói junto às políticas públicas e como o Estado deve funcionar. E sabemos que tem leis que favorecem, às vezes, o empresariado. E sabemos que a política de assistência social vem sendo sucateada. Então precisamos cobrar que entre recursos para que se pense nos locais de abrigamento e acolhimento dessas pessoas (refugiadas).” – Joyce Gutierrez

“Tem que ter asseguradas políticas para educação intercultural para que isso esteja dentro da saúde, da educação, da rede socioassistencial, mas ela não pode imitar o modelo de São Paulo ou de Roraima, cada lugar tem que se adaptar ao seu fluxo (migratório), à sua realidade, mas sempre com um olhar afetivo e de construção.” – Mona Perlingeiro

“A informação é uma ferramenta essencial para a pessoa migrante saber se seus direitos estão sendo violados e como agir. É muito importante ter acesso à informação básica para poder ter acesso aos serviços básicos.”  – Yulibeth Carpintero

A live também contou com uma intervenção do U-Report, programa global do UNICEF que promove a participação cidadã de adolescentes e jovens em todo o mundo. No Brasil, é implementado pela Viração. Dois jovens migrantes, Edibel Tovar e Emran Niazia gravaram vídeos com perguntas sobre migração e refúgio para as convidadas, abrindo a etapa de interação com o público no webinário. Ao final do evento, foi exibido um mapa de presença interativo, que apresentou os locais de onde as pessoas acompanharam a transmissão.

A atividade pode ser assistida na íntegra pelo canal do YouTube da Viração. A série de webinários especial Viração 20 anos conta ainda com um terceiro encontro, que irá discutir sobre Juventude, Trabalho e Dignidade, previsto para o mês de maio deste ano.

Fonte:

Compartilhe:
Facebook
Twitter
LinkedIn
Pinterest

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

plugins premium WordPress