Projeto MUDE com Elas lança sistematização da primeira fase 

A publicação reúne as realizações do projeto, evidenciando as metodologias, estratégias, tecnologias sociais e reflexões sobre a inserção de jovens negras no mercado de trabalho.

Por Rhafaela Resende

A Parceria Multiatores para Promover a Inclusão de Mulheres Desfavorecidas no Mercado de Trabalho no Brasil, mais conhecida como projeto MUDE com Elas, acaba de lançar a sistematização da sua primeira fase de implementação. 

O material, organizado em seis capítulos, explora diversas dimensões do projeto. Além de contextualizar as desigualdades de gênero, raça e classe que prejudicam o ingresso, a permanência e o progresso das jovens mulheres negras no mercado de trabalho, a publicação conta os processos de formulação e implementação do MUDE com Elas, discutindo as tecnologias sociais desenvolvidas no âmbito do projeto, os obstáculos enfrentados, resultados alcançados e as lições aprendidas no decorrer da jornada.

A sistematização do MUDE com Elas, que conta com a coordenação editorial da Viração, está disponível para acesso público no site da Ação Educativa, de Terre des Hommes, da Viração e nas plataformas do projeto nas redes sociais. O material representa não apenas um registro das experiências do projeto até o momento, mas também um chamado e uma inspiração para articulações futuras de ações e políticas públicas na garantia de um futuro potente para as juventudes brasileiras. 

“Esta publicação tem vários propósitos: de registrar a memória da história vivida, de contar essa história para quem nela tiver interesse e para quem pode dar respostas às demandas que ela identificou; de guardar conhecimentos produzidos por todas as pessoas que participaram; de servir de referência para outras iniciativas que queiram enfrentar, a partir do diálogo Multiatores, as desigualdades de gênero, raça/etnia e classe social para promover os direitos das jovens mulheres negras no mercado de trabalho. É uma homenagem às jovens que participaram como multiplicadoras e aprendizes e às juventudes que se somaram na construção deste caminho. É um reconhecimento às parceiras e parcerias que conseguimos construir para chegar até aqui e que nos animam a construir uma segunda etapa do projeto com ainda maior esperança!”, explicou Angela Schwengber, coordenadora geral do projeto pela Terre des Hommes.

Para Vânia Correia, coordenadora adjunta da Viração e editora da publicação, a sistematização é mais uma das contribuições do projeto para o seu campo de atuação. “O MUDE com Elas é essencial para compreendermos e enfrentarmos as discriminações de classe, raça e gênero que prejudicam as trajetórias de jovens mulheres no mercado de trabalho. A sistematização narra os caminhos percorridos pelo projeto e se torna um instrumento importante que nos permite aprender com a experiência do MUDE e somar nesta luta. Para a Viração foi  uma honra contar esta história.”

Impactos e transformações do Mude com Elas

O MUDE com Elas articula poder público, empresas, organizações da sociedade civil e as juventudes na realização de ações que visam superar as barreiras impostas pelo racismo, o sexismo e a condição socioeconômica para o acesso, a permanência e o desenvolvimento de jovens mulheres negras no mundo do trabalho. Nesta primeira fase alcançou marcos significativos por meio de sua frente de inserção profissional que promoveu a capacitação teórica e prática de 44 jovens aprendizes, das quais 5 foram efetivadas antes mesmo de concluírem a formação. Apesar dos desafios impostos pela pandemia, o programa alcançou suas metas, envolvendo também 10 empresas alemãs que contrataram jovens e participaram de ações de sensibilização para o tema da diversidade e inclusão no mercado de trabalho, envolvendo mais de 210 colaboradores.

O projeto trouxe também impactos significativos na frente de incidência política, promovendo a interação entre os marcadores de gênero, raça, classe e idade nas discussões sobre trabalho e renda. Foram alcançados grandes resultados, como a formação de 8 jovens multiplicadoras, a realização de 80 encontros com as jovens multiplicadoras, que foram responsáveis pela realização de oficinas impactando mais de 300 jovens, além da produção e disseminação de materiais de comunicação sobre o tema do projeto. Por meio desta frente de atuação, o MUDE com Elas também contribuiu para adensar a discussão na Câmara Municipal de São Paulo, que resultou na implantação de uma Subcomissão de Juventude, na Comissão de Finanças e Orçamento da Casa, participando de uma audiência pública para incidir sobre o debate da destinação do orçamento municipal para políticas públicas voltadas à juventude, em particular à promoção do trabalho digno para as jovens mulheres negras.

A iniciativa MUDE com Elas é fruto da colaboração entre a organização Ação Educativa, a Câmara de Comércio e Indústria Brasil-Alemanha (AHK São Paulo) e terre des hommes Alemanha (tdhA), e contou com financiamento o apoio do Ministério Federal da Cooperação Econômica e Desenvolvimento da Alemanha (BMZ). Com foco na promoção da igualdade de gênero e raça no mercado de trabalho brasileiro, o projeto visa melhorar especialmente as perspectivas e oportunidades para jovens mulheres negras, que frequentemente enfrentam desafios únicos e desigualdades estruturais.

Fonte:

Compartilhe:
Facebook
Twitter
LinkedIn
Pinterest

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

plugins premium WordPress