Membros da ABPEducom falam sobre a aproximação entre a Associação e o Governo Federal

Comunicação ABPEducom

O presidente da ABPEducom, professor Ismar de Oliveira Soares, junto com o vice-presidente, Mauricio Virgulino Silva, e o Secretário-Executivo da Associação, professor Claudemir Viana, em entrevista para esta matéria, contaram, detalhadamente, os aspectos referentes à articulação entre a Associação e o Governo Federal, representados pela Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República (SECOM) e pelos Ministérios do Meio Ambiente, da Educação e da Cultura.

Sobre a relação com a SECOM, afirmou o Prof. Ismar: “O diálogo teve início com uma troca de mensagens entre a coordenadora do Programa de Educação Midiática, Mariana de Almeida Filizola, e o presidente da ABPEducom, ainda em março do presente ano. No diálogo estabelecido, comentou-se sobre a oportunidade de uma consulta do governo às instituições voltadas para o tema da educação midiática e da educomunicação, no Brasil. A consulta efetivamente ocorreu, entre maio e julho, tendo a SECOM recebido mais de 600 comentários e sugestões, vindas de todo o país, inclusive de membros da própria ABPEducom

No que diz respeito aos Ministérios, o diálogo com Brasília contempla três propostas: (I) a apresentação de um projeto à Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo, FAPESP, sobre educação e mudança climática, a partir da Educomunicação (Meio Ambiente); (II) a participação da entidade em um seminário a respeito da Cultura de Paz (Educação); e (III) o lançamento do curso “Arte nas Escolas como Estratégia de Comunicação” (Cultura e Educação). 

MEIO AMBIENTE

No âmbito do Meio Ambiente, o presidente da ABPEducom diz que a intenção do projeto apresentado à Fapesp, na linha de pesquisa voltada às políticas públicas,  é a de abrir possibilidades para o desenvolvimento de projetos formativos na área da educação ambiental, já que, com a chegada da atual gestão federal, as discussões sobre a Educomunicação Socioambiental acabaram sendo retomadas: “Queremos fazer um levantamento por onde anda ou como se encontra situada, nesse momento, a prática educomunicativa como recurso em projetos socioambientais, envolvendo especialmente a crise climática”, afirma o professor.

EDUCAÇÃO

No âmbito do Ministério da Educação, a ABPEducom fez-se presente como integrante de um projeto governamental voltado a ouvir a sociedade sobre o tema da violência nas escolas. Nesse sentido, em maio do corrente ano, a entidade promoveu um painel online, tendo como público receptor técnicos do MEC integrantes de um grupo de trabalho cuja missão era a de acolher e sistematizar propostas de encaminhamento do problema. No caso, a ABPEducom promoveu uma “oitiva” sobre a “Educomunicação na mobilização do ambiente escolar, em favor da democracia e de uma cultura de paz”. O painel, em forma de live, contou com a presença do Presidente e do Secretário Executivo da ABPEducom, além de representante do Núcleo de Educomunicação da Prefeitura de são Paulo e de dois jovens formados a partir de projetos educomunicativos, representando o Imprensa Jovem, de SP e o projeto Cidadania Ativa, do Mato Grosso do Sul.

Por conta desta iniciativa, o Secretário-Executivo da associação esteve presente em seminário do próprio Ministério da Educação, no final do mês de Julho, para tomar ciência do trabalho que o Governo estava levando à frente sobre o tema em questão.

Sobre sua viagem a Brasília, o professor Claudemir  Viana adiantou: “É importante dizer que já existem iniciativas na linha do combate à violência nas escolas.  Uma delas, segundo o Prof. Claudemir, é uma cartilha denominada “Escola Segura”, que ajuda as crianças e jovens a lidar com os conteúdos de violência que circulam via online. Caberá à ABPEducom manter-se alerta para futuros sinais que venham de Brasília, nessa linha.

CULTURA e EDUCAÇÃO

O combate à violência, para promoção de diálogos e equidade, no contexto de ambiente escolar também é tema para as ações que estão sendo desenvolvidas no campo do Ministério da Cultura e Ministério da Educação, a partir das ações do GT interministerial. O diálogo nesse âmbito foi assumido pelo Vice-Presidente Mauricio Virgulino Silva, que a convite da do MinC elaborou uma proposta de curso,, compondo uma parceria entre os Ministérios da Cultura e Educação, a Universidade Federal do Mato Grosso e a Fundação Uniselva. 

O título  da trilha formativa é “Educação dos sentidos, para fazer sentido: Arte nas escolas como estratégia de comunicação”.

Coube à ABPEducom indicar os conteúdos a serem trabalhados, convidar professores conteudistas e organizar os materiais preparados das 12 unidades do curso. Estas atividades foram coordenadas pelo próprio prof. Mauricio Virgulino e Amanda Cuesta, também consultora do curso, em diálogo próximo e afinado com a equipe da UFMT, supervisionadas pelo MinC e MEC.

É importante registrar que o curso, assim que lançado, obteve grande procura para manifestação de interesse por parte educadores, mobilizadores comunitários e artistas provenientes de todos os estados da Federação. Conforme o edital lançado para atender aos objetivos desta oferta, foram selecionadas 6 pessoas por estado e Distrito Federal.

Mais informações sobre o curso podem ser acessadas em: https://setec.ufmt.br/curso-arte-educacao/

PARA A ABPEducom

Durante a conversa, cada membro da ABPEducom refletiu sobre o que este diálogo com o âmbito federal significa para a Instituição. 

Professor Ismar: “Temos segurança do que estamos  falando. Apoiamo-nos em  pesquisas que garantem a possibilidade de diálogo com diferentes áreas do conhecimento, assim como  da prática social e política. Num momento como o que estamos vivendo,  precisamos nos fazer presentes”. 

Professor Mauricio: “Eu acho que é uma efetivação daquilo que a gente vem buscando:  uma construção de diálogos com organismos públicos no Brasil, em favor da conquista de direitos, especialmente no âmbito do respeito às diversidades”. 

Professor Claudemir: “É importante para a ABPEducom, mas é importante para a Educomunicação em todos os sentidos, e para outras instituições, práticas e pessoas, como é o caso do NCE/USP e da licenciatura em Educomunicação na ECA/USP.

Fonte:

Compartilhe:
Facebook
Twitter
LinkedIn
Pinterest

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

plugins premium WordPress