Digaê na cobertura da retomada da agenda de prevenção a violência letal de adolescentes e jovens

Durante o evento as organizações presentes, os movimentos sociais e juventudes negras produziram e aprovaram de forma coletiva um manifesto reivindicando o estancamento da violência letal contra jovens negros, em busca de respostas urgentes e efetivas dos poderes públicos.

A equipe de jovens mobilizadores do Digaê esteve presente no  evento de retomada da agenda de prevenção a violência letal de adolescentes e jovens, no Sinteal – Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Alagoas, realizado no dia 05 de abril. A jovem mobilizadora Elo Graciliano falou um pouco sobre como foi a experiência de ter participado do encontro:

“O evento contou com dinâmicas de apresentação, roda de conversa, debates e apresentação de propostas sobre a criminalização da pobreza e segurança, a adolescência e sistemas socioeducativos, gênero, raça, classe e diversidade sexual, mídias e construção da imagem dos adolescentes na periferia. Participaram do encontro as instituições: CEDECA, projeto Erê, Mídia Caeté, Digaê – Viração, CN2R e Consultório na Rua e contou ainda com participações significativas de adolescentes e jovens que puderam contar suas próprias vivências e levantar questionamentos importantes sobre os temas debatidos.”

Elo Graciliano

Para Roberto Silva, educomunicador do Digaê e articulador Juvenil do CEDECA – Zumbi dos Palmares, a agenda de prevenção a violência letal de adolescentes e jovens é de extrema importância e precisa ser debatida com urgência.

“Um tema urgente a ser debatido e dado encaminhamentos concretos. Vale ressaltar que esta iniciativa começou com a provocação de Visão Mundial (organização social que atua no Brasil a mais de 40 anos) que chamou Ellen e eu (Roberto), do Movimento Jovem de Políticas Públicas (MJPOP) em Maceió, para mobilizar as organizações que atuam na cidade para debater este tema e propor ações de prevenção e enfrentamento a violência letal que acomete diariamente adolescentes e jovens”.

Roberto Silva

Na ocasião, o grupo de organizações, movimentos sociais e juventudes negras presentes produziram e aprovaram de forma coletiva o Manifesto:  A Juventude Negra Alagoana quer Viver! , que reivindica o estancamento da letalidade contra jovens negros, em busca de respostas urgentes e efetivas por parte dos poderes públicos. 

“Propor um Manifesto que escancare o problema da violência letal que afeta a juventude, sobretudo pretos e pardos, seguido de uma mobilização de várias organizações em torno desta problemática, são ações que acredito serem fundamentais e que podem contribuir para que possamos mudar esse contexto, sobretudo de maneira coletiva e com a participação ativa dos adolescentes e jovens”, disse Roberto Silva.

O manifesto está aberto para receber novas assinaturas. Acesse aqui. 

Durante o encontro, a equipe de jovens mobilizadores formada por Fellipe da Motta, Léo Silva, Elo Graciliano, Giselle Ketlly, e Josias Brito (Tripa), conversou com algumas representações presentes sobre a importância da retomada da agenda de prevenção a violência letal de adolescentes e jovens. O trabalho resultou em um vídeo, disponível no canal da Viração no YouTube:

Fonte:

Compartilhe:
Facebook
Twitter
LinkedIn
Pinterest

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

plugins premium WordPress