Institucional

Novo projeto da Viração vai dialogar sobre saúde sexual com adolescentes e jovens de São Paulo

O Combinado Coletivo tem foco na Prevenção Combinada ao HIV/Aids e outras ISTs e é voltado, prioritariamente, para adolescentes e jovens LGBTQIA+ entre 15 e 24 anos moradores das periferias de São Paulo. As inscrições estão abertas até 9 de maio

A construção de redes de apoio coletivas é essencial para ampliar as respostas comunitárias relacionadas à Prevenção Combinada ao HIV/Aids e outras Infecções Sexualmente Transmissíveis (ISTs) junto às juventudes. O Combinado Coletivo surge como mais um ciclo educomunicativo de diálogos e formação em saúde, visando a ampliação do acesso e qualidade dos serviços prestados às populações-chave no contexto da epidemia de HIV/Aids e outras ISTs. O projeto é voltado, prioritariamente, ao diálogo entre adolescentes e jovens LGBTQIA+, entre 15 e 24 anos, meninos cis gays, HSH e meninas trans e travestis, residentes na Zona Leste, Sul e Centro, sobre as questões do HIV/AIDs e outras ISTs e suas fissuras. As inscrições estão abertas até 09 de maio, e quem tiver interesse pode se inscrever preenchendo o formulário: https://bit.ly/combinadocoletivo2021

Serão selecionadas/es/os 30 adolescentes e jovens para compor a turma que inicia suas atividades em 26 de maio de 2021. Destas/es, 20 selecionadas/es/os poderão contar com uma bolsa de ajuda de custo de R$ 200,00 reais mensais + vale alimentação + recarga de dados móveis, durante todo o ciclo formativo. A divulgação da seleção será em 13 de maio, nas redes sociais do Combinado Coletivo e da Viração Educomunicação e, após confirmação de participação, serão selecionadas/es/os 20 adolescentes e jovens para receber a ajuda de custo, seguindo os critérios de prioridade.

A seleção para a bolsa levará em consideração os critérios de raça/cor (prioritariamente pretas/es/os e pardas/es/os), gênero (priorizando meninos cis gays, HSH e meninas trans e travestis) e vulnerabilidade social (renda familiar de até 2 salários mínimos).

O ciclo formativo vai oferecer uma Formação Continuada em Prevenção Combinada entre Pares, com duração de 7 meses (oficinas temáticas + multiplicação entre pares + intervenção coletiva), na qual será subdividida em dois módulos: 

 

  • Módulo I – Prevenção Combinada
  • Módulo II – Linguagens: Núcleo Comunicação e Saúde e Núcleo Artes e Saúde

 

O Combinado Coletivo é executado pela Viração em parceria com a UNESCO e Departamento  de Doenças de Condições Crônicas e Infecções Sexualmente Transmissíveis da Secretaria de Vigilância em Saúde (DCCI/SVS).

Devido à pandemia da Covid-19, os primeiros encontros estão programados para acontecer de forma on-line, garantindo a proteção de todes. Quando for seguro, encontros presenciais serão combinados com a turma.

Período da formação: encontros semanais de maio a novembro de 2021

Serviço: 

Período de inscrição: 16/04/2021 a 09/05/2021 

Período de seleção: 10 a 12/05/2021

Divulgação da seleção: 13/05/2021

Confirmação de Participação: 13 a 17/05/2021

Seleção de Bolsas de Ajuda de Custo: 18 a 20/05/2021

Divulgação Bolsistas Selecionades: 20/05/2021

Início das atividades

Módulo I – Todas às quartas-feiras, à partir do dia 26/05/2021 das 14h às 17h 

Módulo II – Núcleo Comunicação: Todas às quartas-feiras, à partir do dia 28/07/2021, das 14h às 17h 

Módulo II – Núcleo Artes: Todas às quintas-feiras, à partir do dia 29/07/2021, das 14h às 17h 

Término das atividades: 30/11/2021

 

Acompanhe nas redes sociais

Facebook: fb.com/combinadocoletivo 

Instagram: instagram.com/combinadocoletivo 

 

Informações para imprensa

Jéssica Rezende – Comunicação 

E-mail: comunicacao@viracao.org | Telefone: (11) 3237-4091

 André Araújo – Corrd. Combinado Coletivo

E-mail: andre@viracao.org | Telefone: (11) 3237-4091

Audre Verneck – Educomunicadora Combinado Coletivo

E-mail: educombinadocoletivo@viracao.org | Telefone: (11) 3237-4091

“Esta publicação tem a cooperação da UNESCO no âmbito do Projeto 914BRZ1138, o qual tem o objetivo de contribuir para eficiência da gestão por resultado, aprimoramento da governança, da resposta nacional às IST, aids, hepatites virais, com foco na prevenção e educação em saúde, bem como na ampliação do acesso e qualidade dos serviços prestados às populações vulneráveis. As indicações de nomes e a apresentação do material ao longo deste livro não implicam a manifestação de qualquer opinião por parte da UNESCO a respeito da condição jurídica de qualquer país,território, cidade, região ou de suas autoridades, tampouco da delimitação de suas fronteiras ou limites. As ideias e opiniões expressas nesta publicação são as dos autores e não refletem obrigatoriamente as da UNESCO nem comprometem a Organização.”

Quando a gente faz 18 anos, o mundo fica mais encantado

Quando ela nasceu, era apenas uma revista. Uma revista diferente e inovadora: feita por, com e a partir de adolescentes e jovens de todo o Brasil, encantada pela estrela-guia chamada Educomunicação e inspirada na Educação libertadora de Paulo Freire. Ela se apresentava como um “projeto social impresso”.

Hoje, ela já não é mais apenas uma revista, e sim uma organização com nome e sobrenome: Viração Educomunicação.

Neste mês de março, desafiador por conta da pandemia, a Vira faz 18 anos. Em todo esse tempo, produtos, projetos e ações de mobilização por todo o Brasil e no exterior ajudaram a fomentar as discussões e a garantia do direito humano à comunicação de crianças, adolescentes e jovens.

Reconhecimento não faltou nesta trajetória. Foram quase 20 prêmios nacionais e internacionais. O Ministério da Educação, por exemplo, elegeu a Vira como referência nacional em projetos educacionais nas escolas. A Ashoka Empreendedores Sociais credenciou a Vira como iniciativa de inovação social mundial, fazendo de seu fundador um Ashoka Fellow junto com outros mais de 3 mil empreendedores sociais espalhados por mais de cem países.

Em 2015, recebemos o Prêmio Mariazinha Fusari de Educomunicação, concedido perlo NCE-ECA-USP,  e o Prêmio Betinho de Cidadania. Em 2019, a Prefeitura de São Paulo concedeu à Viração o Selo de Direitos Humanos e Diversidade pela atuação junto às juventudes.

Como de coisa nasce coisa, a Vira também pariu a Agência Jovem de Notícias, essa outra adolescente de quinze anos que agora fala quatro línguas: português, inglês, espanhol e italiano. De projeto a programa nascido em 2005, a AJN ganhou o mundo com núcleos em vários Estados do Brasil, na Argentina, na Colômbia, em Portugal e na Itália.

Hoje, a Viração idealiza e executa projetos em parceria com diversas agências financiadoras, que mobilizam juventudes em múltiplos temas e formatos, como é o caso do Pra Brilhar! e do Combinado Coletivo, que trabalham prevenção combinada ao HIV/Aids e outras ISTs para jovens de São Paulo, o U-Report Brasil e o U-Report Uniendo Voces, chatbots que interagem com jovens de todo o Brasil, brasileiros e migrantes, sobre temas diversos, e os recentemente finalizados Geração que Move – que mobilizou jovens periféricos para temas de direitos humanos e comunicação – e o Consulta Brasil que promoveu formação educomunicativa e diagnóstico participativo junto a crianças e adolescentes sobre educação midiática e uso das tecnologias digitais -, entre tantos outros projetos e colaborações com organizações da sociedade civil.

Ao longo deste 2021, vamos compartilhar com vocês algumas histórias e conversar com pessoas que marcaram a nossa caminhada até aqui, para celebrar a alegria em completarmos 18 anos, renovarmos a esperança nas lutas coletivas, na potência das juventudes plurais e em todas as coisas boas que ainda estão por vir.

Quem sabe tantas outras coisas lindas e cheias de Tesão social a Vira ainda vai criar por esse mundo afora e nos próximos 18 outros anos…

Baixe os dois volumes do Guia tá na rede: o que vira é navegar com segurança

A versão digital do Guia Tá na Rede: o que vira é navegar com segurança está disponível para download, em dois volumes

A Viração Educom reuniu um grupo de pessoas que usam e pensam as tecnologias digitais para debater em torno dessa grande questão no Webinário ‘Crianças e adolescentes na internet: oportunidades, desafios e aprendizados’, aconteceu no último dia 23 de fevereiro, com transmissão ao vivo pelo canal da Viração no YouTube.

O evento marcou o encerramento das atividades do projeto Consulta Brasil, uma iniciativa da Viração que promoveu ações de mobilização, formação e pesquisa participativa com o público infanto-juvenil a respeito do uso da internet e das tecnologias digitais, em dez cidades, nas cinco regiões do país.

Durante a transmissão, foi lançada a publicação do Guia Tá na Rede – o que vira é navegar em segurança, em dois volumes – um material de consulta para pais, educadores, comunidade, crianças e jovens.

Volume 1 – Para pais, comunidade e educadores

  • A relação de crianças e adolescentes com as TICs (Tecnologias de Informação e Comunicação).
  • Desafios e ferramentas para uma mediação responsável, dialógica e criativa.
  • Acesso à Internet e segurança de dados como direitos fundamentais.
  • Dicas para o enfrentamento ao discurso de ódio, à exposição de dados, à crimes virtuais e fake news.

 

Clique aqui para baixar o volume 1

 

Volume 2 – Para crianças e adolescentes

  • Glossário com os principais termos para entender a Internet.
  • Testes para ajudar a refletir como é a sua relação com o uso das TICs.
  • Dicas para proteger sua privacidade e navegar com segurança.
  • Boas práticas na Internet, cuidados com a saúde mental, exemplos de ações de participação cidadã online – além de uma lista com canais de apoio integral no combate ao ciberbullying, discursos de ódio e intolerância.
  • Caixa de ferramentas: dicas de materiais de apoio e jogos educomunicativos para se aprofundar nos temas trabalhados no guia.
  • 8 roteiros com propostas de atividades práticas para apoiar meninas e meninos no uso seguro, criativo e cidadão da Internet e de outras tecnologias digitais.

 

Clique aqui para baixar o volume 2

 

O Guia Tá na Rede foi produzido no âmbito do projeto Consulta Brasil – projeto implementado pela Viração Educomunicação em parceria com a Diretoria de Promoção e Fortalecimento dos Direitos da Criança e do Adolescente do Ministério da Mulher, Família e Direitos Humanos e apoio da Rede Conhecimento Social, do NCE – Núcleo de Comunicação e Educação da USP e de algumas instituições educacionais públicas e privadas de dez municípios brasileiros.

O Consulta Brasil promoveu ações de mobilização, formação e diagnóstico participativo junto a crianças e adolescentes para criar metodologias e materiais capazes de apoiar famílias, educadores e meninas e meninos no uso da internet e das tecnologias digitais.

Viração contrata: Coordenação Executiva

A Viração está em busca de profissional para atuar na coordenação geral da organização. Pessoas interessadas devem ter conhecimentos nas áreas de direitos humanos e políticas públicas da adolescência e da juventude, gerenciamento de projetos e de organizações, incluindo aspectos relativos à gestão financeira e administrativa, além de experiência em funções de coordenação. Inscrições através de formulário aberto até o dia 07 de março de 2021

A Viração Educomunicação, organização da sociedade civil sem fins lucrativos atua há 18 anos nas áreas de educomunicação, juventudes e mobilização social  sob o objetivo de mobilizar adolescentes e jovens para a promoção e defesa de seus direitos, possibilitando a construção de uma sociedade justa, participativa e plural, busca profissional para a Coordenação Executiva.

Objetivos do cargo

A/O profissional será responsável por coordenar o planejamento, implementação, avaliação e sistematização dos projetos, com base no planejamento estratégico da organização.

Perfil da/o profissional

Requisitos:

  • Graduação na área das ciências sociais e humanas;
  • Experiência de, no mínimo, cinco anos em coordenação de organizações sociais que atuam na área dos direitos humanos; 
  • Conhecimentos nas áreas de direitos humanos e políticas públicas da adolescência e da juventude;
  • Conhecimentos de avaliação e monitoramento de projetos;
  • Conhecimento qualificado sobre gerenciamento de projetos e de organizações, incluindo aspectos relativos à gestão financeira e administrativa;
  • Conhecimentos no pacote Office ou softwares livres similares; 
  • Boa comunicação oral e escrita; 
  • Compromisso e conhecimento da Declaração dos Direitos Humanos, Convenção dos Direitos da Criança, Estatuto da Criança e do Adolescente e Estatuto da Juventude. 
  • Desejável fluência em inglês ou espanhol, além de português.

Principais atividades

  • Coordenar as equipes de projetos e de comunicação institucional;
  • Coordenar a equipe administrativa na execução financeira dos projetos;
  • Planejar e acompanhar a execução técnica de projetos, ações e serviços da organização;
  • Estabelecer e manter relação com todas as partes integrantes e relacionadas com a organização, bem como financiadores de projetos em andamento;
  • Sistematizar ações, produzir relatórios técnicos e prestações de contas para parceiros e financiadores;
  • Prospectar novos projetos e articular parceiros institucionais e financiadores;
  • Representar a organização em reuniões de Conselhos, Fóruns e demais eventos relacionados à atuação institucional.

Informações adicionais

  • Regime de contratação: Prestação de serviços (Pessoa Jurídica)
  • Carga horária: 36 horas semanais
  • Remuneração: compatível com o setor, cargo e experiência 
  • Local de trabalho: No início em modalidade home-office e depois em formato híbrido (Sede da Viração em São Paulo)

 

Processo Seletivo

O processo seletivo para a contratação de profissional para Coordenação Executiva da Viração tem previsão para ocorrer no mês de março e contará, além da análise das respostas enviadas no formulário e currículos, com rodadas de entrevistas que serão realizadas através da plataforma zoom. Informações sobre datas e sobre o andamento do processo serão enviadas diretamente às pessoas selecionadas.

Adotamos uma política de ações afirmativas que apoia a seleção de pessoas pretas, pardas, indígenas, LGBTQIA ou mães solo. Por favor, indique em sua candidatura se você se considera como potencial beneficiária/o. Preencha o formulário até o dia 07 de março 2021 para participar da seleção!

 

Preencha o formulário e participe da seleção: http://bit.ly/CoordVira2021 

 

Acesse o edital em PDF aqui

Pra Brilhar: Confira o resultado da seleção para a turma 2021.1

Jovens selecionados tem até o dia 26/02, sexta-feira, para confirmar a participação no projeto, por meio de preenchimento de formulário enviado por e-mail. Ciclo formativo tem previsão de início em 08/03

Mais uma seleção de jovens para o projeto Pra Brilhar: 40 jovens foram selecionados na primeira chamada e receberão e-mail de contato para confirmar a participação no ciclo formativo que conta com oficinas temáticas sobre ISTs/Aids, prevenção, direitos humanos, sexualidades e comunicação.

Ao todo, tivemos 75 inscrições para compor a turma, que este semestre conta com apoio do CEU Navegantes. Do total de jovens inscrites, 45,3% (34) mora na Zona Sul, 25,3% (19) na Zona Leste, 13,3% (10) na Zona Norte, 8% (6) na Zona Oeste e 8% (6) no Centro. Quanto as identidades de gêneros, 41,3% (31) se consideram homens cis, 33,3% (25) se consideram mulheres cis, 12% (9) se consideram não binárias, 9,3% (7) mulheres trans e travestis, 4% (3) homem trans. Em consideração as sexualidades, 53,3% (40) se consideram homossexuais25,3% (19) bissexuais, 13,3% (10) heterossexual, 4% (3) pansexuais, 1,3% (1) aceflux, 1,3% (1) gosta de pessoas e 1,3% (1) não acredita em orientação sexual. Ao todo, 38,7% (29) de jovens inscrites consideram-se pardas/os, 36% (27) pretas/os, 24% (18) brancas/os e 1,3% (1) indígena. A renda familiar da maioria das/os jovens inscrites está na faixa de até 2 salários mínimos, representando 73,3% (55) do número total, 27,7% (17) apresenta renda entre 2 e 4 salários mínimos e 4% (3) apresenta renda superior a 4 salários mínimos.

Da/Dos jovens selecionades, 25 são residentes da Zona Sul, 9 da Zona Leste, 3 da Zona Norte e 3 da Zona Oeste. Quanto as identidades de gênero, 18 se consideram homens cis, 8 se consideram mulheres cis, 7 se consideram não binárias, 6 mulheres trans e travestis, 1 homem trans. Em consideração as sexualidades, 24 se consideram homossexuais7 bissexuais, 6 heterossexual, 2 pansexuais, 1 aceflux. Ao todo, 14 jovens selecionades consideram-se 22 pretas/os, pardas/os, 3 brancas/os e 1 indígena. A renda familiar da maioria das/os jovens selecionades está na faixa de até 2 salários mínimos, representando 36 do número total, 4 jovens apresentam renda entre 2 e 4 salários mínimos.

A partir de hoje, iniciamos também a seleção de até 30 jovens que terão direito a receber a ajuda de custo para acesso a internet durante o ciclo formativo, seguindo critérios de raça/cor (preferencialmente pessoas pretas e pardas), gênero (priorizando meninos gays cis, meninas trans e travestis) e vulnerabilidade social (renda familiar de até 2 salários mínimos).

As atividades estão previstas para ocorrer inicialmente de forma virtual, por conta da emergência sanitária provocada pela pandemia de coronavírus. 

Confira a lista completa

  • Augusto Luiz Borges Pereira de Oliveira
  • Bárbara Righetti
  • Brener da Costa Fonseca
  • Bruna Buubah Bernardo da Silva 
  • Bruna Pires
  • Caio Herbert Silva Fernandes
  • Dallas Martinez Guebara
  • Davi Izidoro Dias
  • David Rodrigues Moreira
  • Deborah Emilia Carvalho de Moraes
  • Diana Ferreira de Souza
  • Gelso Batista das Dores Junior
  • Guilherme Sousa Silva
  • Guilhermina de Paula Pinto
  • Izaque Vieira
  • Jaddy Andrade dos Santos
  • Jaqueline Lima da silva
  • João Marcos de Sousa Godoy 
  • Julio Cesar dos Santos Vieira 
  • Karoline Gonçalves Silva
  • Laura Santos Moura da Silva 
  • Leonardo Do Nascimento Rodrigues Da Silva
  • Maicol Freitas de Melo
  • Marina Gomes Silva 
  • Micaele Oliveira dos Santos
  • Mônica Isabela Maia
  • Raul Valério Graciano
  • Renan da Silva Domingos
  • Richard Alexandre Azevedo Santos 
  • Sidinéia Aparecida Chagas 
  • Stefany da Silva Santos
  • Thalia Bianca Muniz de Souza
  • Thiago Lopes Moreira
  • Ubirajara Sérgio Da Silva
  • Vaneic Nascimento das Gracas 
  • Victor Hugo Paulino Farias 
  • Victoria Pereira de Moraes Aisha
  • Vinícius Pereira Silva 
  • Wanderson dos Santos Silva
  • Willian Meira de Oliveira

Vaga para Educomunicador/a com foco em Prevenção Combinada ao HIV/Aids e outras ISTs para jovens LGBTQIA+

A Viração Educomunicação está a procura de uma/um educomunicadora para integrar a equipe do projeto Combinado Coletivo para Promoção da Saúde e Sexual LGBTQIA+” – API 021/2020, da Chamada Pública IPA 1629/2020 (UNESCO). A ONG localizada na República (Rua Araújo, 124, 2º andar), bem próxima ao metrô com o mesmo nome, abre as inscrições e pede as/aos candidatas/os que enviem seus currículos até o dia 23 de fevereiro de 2021. Em consonância com os valores da Viração, apoiamos e incentivamos a candidatura de pessoas LGBTQI, tendo como prioridade para efetivação da vaga a população trans e travesti.

 

Sobre o Projeto Combinado Coletivo

O projeto articula processos de educação, comunicação e intervenção comunitária com foco na promoção da saúde e prevenção combinada das IST e HIV/aids, voltados, prioritariamente, a jovens cis gays, meninas trans e travestis, e HSH, com idade de 15 a 24 anos, residentes da cidade de São Paulo, tendo prioridade jovens das zonas Sul, Leste e Centro, com recorte de raça/cor e classe, em consonância com os dados do boletim epidemiológico de hiv/aids de São Paulo e Censo Demográfico IGBE 2010.

Por meio destes eixos de atuação, pretende formar e capacitar jovens para criar e disseminar produtos e intervenções com informações confiáveis, acessíveis e criativas com potencial para impactar o público prioritário, além de sistematizar e difundir as metodologias testadas para a ação assertiva sobre prevenção com o público LGBTQIA+ e HSH.

 

Perfil do profissional:

  • Ensino médio completo;
  • Experiências em facilitação de atividades sobre saúde sexual e prevenção combinada ao HIV/aids e outras ISTs junto às juventudes;
  • Domínio de softwares de edição de texto e apresentação multimídia (proprietários ou livres) e internet;
  • Boa comunicação oral e escrita;
  • Capacidade de organização e cumprimento de metas e prazos;
  • Compromisso e conhecimento básico da Declaração dos Direitos Humanos, Políticas para LGBTI, Estatuto da Criança e do Adolescente e Estatuto da Juventude.

 

Pode ser um diferencial:

  • Formação concluída ou em andamento nas áreas de pedagogia, educomunicação, comunicação social, serviço social, assistência social e demais áreas relacionadas;
  • Atuar ou ter experiência em serviços de saúde especializados em ISTs;
  • Experiência em projetos relacionados a saúde e direitos sexuais de jovens LGBTQIA+

 

Atividades:

  • Apoiar processos de mobilização de adolescentes e jovens ao longo de todas as etapas do projeto Combinado Coletivo;
  • Elaborar e acompanhar, com apoio da coordenação, os planos pedagógicos educomunicativos para os ciclos formativos do projeto;
  • Facilitar os encontros formativos com o grupo de jovens participantes do projeto;
  • Colaborar com atividades de produção que forem necessárias para a realização de ações do projeto;
  • Apoiar a elaboração de relatórios técnicos, em conformidade com as orientações da Viração Educomunicação;
  • Apoiar a sistematização de metodologias do projeto para produção de publicação final;
  • Apoiar a coordenação na representação e articulação junto a parceiros, apoiadores do projeto e em espaços estratégicos na cidade onde se discutam políticas voltadas à população LGBTQIA+ e prevenção, diagnóstico e tratamento das ISTs e do HIV/aids.

 

Informações adicionais:

  • Carga horária: 15 horas semanais;
  • Regime de contratação: Pessoa Jurídica (MEI);
  • Tempo de vigência do contrato: 10 meses (fevereiro à dezembro de 2021);
  • Local de trabalho: Remoto (até normalização das medidas sanitárias referente ao COVID-19);
  • Previsão de início de atuação: 28/02/2021
      

     

Processo de seleção:

As/Os interessadas/os na vaga devem enviar currículo até dia 23 de fevereiro de 2021, mencionando a sigla “Edital_Educomunicadora/o_ 2021” no assunto da mensagem, para o e-mail: selecao@viracao.org

Sobre a Viração Educomunicação

www.viracao.org

www.agenciajovem.org

www.facebook.com/viracao.educomunicacao

www.facebook.com/agenciajovem

twitter: @viracao

instagram: @viracaoeducom

Viração promove evento online sobre o uso da internet por crianças e adolescentes

A atividade será totalmente gratuita e reunirá especialistas para um debate. Durante o evento, serão lançados dois volumes de um guia sobre o tema e uma websérie com quatro episódios. As inscrições estão abertas

O webinário Crianças e adolescentes na internet: oportunidades, desafios e aprendizados acontecerá no dia 23 de fevereiro, das 15h às 17h, com transmissão ao vivo pelo canal da Viração no YouTube. Os participantes inscritos previamente receberão os dois volumes do Guia Tá na Rede! – o que vira é navegar com segurança, material produzido pela Viração que será lançado durante o evento.

A programação conta com a participação de Ana Claudia Mielke, jornalista especialista na regulação da mídia e cenário de convergência; Ismar de Oliveira Soares, presidente da ABPEducom; Juliana Cunha, diretora de projetos especiais da SaferNet e Rogério Vilhalva, indígena Guarani-Kaiowá, diretor de escola na aldeia Teyi’kue. Os especialistas e ativistas discutirão aspectos relacionados ao uso seguro, criativo e cidadão da internet e das tecnologias digitais por crianças e adolescentes, em diferentes contextos.

O evento acontece no âmbito do projeto Consulta Brasil, uma iniciativa da Viração que promoveu ações de mobilização, formação e pesquisa participativa com o público infantojuvenil a respeito do uso da internet e das tecnologias digitais, em dez cidades, nas cinco regiões do país. A partir disso, o projeto criou materiais didáticos em formato multimídias, que serão lançados durante o evento. Um deles é o Guia Tá na Rede. Além disso, também será lançada uma websérie com quatro episódios didáticos e bem humorados sobre o tema

O projeto pretende contribuir para a criação e fortalecimento de ações de educação digital para crianças e adolescentes no país: “Além de garantir o acesso gratuito e democrático aos guias educativos, nosso desejo é que os resultados do projeto sejam considerados para a elaboração e implementação de políticas públicas no país”, afirma Elaine Souza, coordenadora da Viração Educomunicação.

As inscrições podem ser feitas neste link: http://bit.ly/WebinarConsultaBrasil 

Especialistas participantes

Ana Claudia Mielke, é jornalista, especialista em História, Sociedade e Cultura pela PUC-SP e mestre em Ciências da Comunicação pela ECA/USP.  Foi coordenadora executiva do Intervozes por cinco anos e secretária-geral do Fórum Nacional pela Democratização da Comunicação (FNDC) de 2018/2020. Atualmente é professora convidada na Fundação Escola de Sociologia de São Paulo (FESPSP), onde leciona regulação da mídia no cenário de convergência.

 Juliana Cunha, Psicóloga, Psicanalista, mestre em Cultura e Sociedade pela Universidade Federal da Bahia (UFBA) e membro da Associação Científica Campo Psicanalítico. Na SaferNet Brasil, é diretora de projetos especiais, com foco em empoderamento e segurança de crianças, adolescentes, jovens e mulheres. É responsável pelo HelpLine, serviço nacional que oferece orientação online sobre o uso seguro da Internet. Também desenvolve materiais pedagógicos e palestras de conscientização sobre uso cidadão da Internet no Brasil.  

Ismar de Oliveira Soares, Jornalista pela Cásper Líbero. Doutor em Ciências da Comunicação pela USP. Tem pós-doutorado pela Marquette University, nos EUA. Professor Titular Sênior da USP. Presidente da Associação Brasileira de Pesquisadores e Profissionais em Educomunicação. Chefiou o Departamento de Comunicações e Artes da ECA/USP) por dois mandatos, tendo implantado a Licenciatura em Educomunicação. Fundou o Núcleo de Comunicação e Educação (NCE/USP).

 Rogério Vilhalva Mota, indígena Guarani Kaiowá, da Aldeia Teyi’kue, é professor de matemática e diretor de escola. Responsável pela gestão de 4 escolas na aldeia Teyi’kue. 

Sobre o projeto Consulta Brasil

Iniciativa da Viração, o Consulta Brasil promove ações de mobilização, formação e diagnóstico participativo junto a crianças e adolescentes para criar metodologias e materiais capazes de apoiar famílias, educadores e meninas e meninos no uso da internet e das tecnologias digitais.

O Consulta Brasil é realizado via convênio com o Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, por meio da sua Diretoria de Promoção e Fortalecimento dos Direitos da Criança e do Adolescente. Também tem parceria com a Rede de Conhecimento Social, o Núcleo de Comunicação e Educação da Universidade de São Paulo e instituições educacionais públicas e privadas de dez municípios brasileiros, onde foram implementadas parte das ações.

 

Anota aí

Webinário Crianças e adolescentes na internet: oportunidades, desafios e aprendizados

Quando: 23 de fevereiro, a partir das 15h

Onde: ao vivo pelo canal da Viração no YouTube: http://bit.ly/ViraNoYouTube 

Grátis

As pessoas que se inscreverem, manifestarem interesse e participarem do evento receberão o Guia Tá na Rede em dois volumes.

As inscrições podem ser feitas neste link: http://bit.ly/WebinarConsultaBrasil 

Informações para a imprensa:

Vânia Correia – Analista de Projeto 

Email: vania@viracao.org 

Jéssica Rezende – Analista de Comunicação 

E-mail: comunicacao@viracao.org

Já está disponível a versão digital da Revista Viração – Manifesto Antirracista

A Revista Viração, produzida por adolescentes e jovens participantes dos projetos da organização,  chega a sua edição 117 falando sobre o racismo estrutural e suas implicações na sociedade, no meio ambiente, no mercado de trabalho, na segurança pública, no sistema de saúde, nas manifestações culturais, na educação, entre outros campos.

Pensar questões raciais em um país que se estrutura por raça e gênero é um convite para discutir projetos de sociedade decolonizada que questione as perspectivas hegemônicas. 

No Brasil, 56,10% da população se autodeclara negra. Somos o país com maior população negra fora da África – mas isso não reflete a presença de pessoas negras em cargos com poder de decisão, seja nas empresas, governo e organizações sociais, seja nas profissões historicamente acessadas por pessoas com alto poder aquisitivo, como medicina e direito. Tampouco a população negra do Brasil está entre a maioria a publicar livros e a ocupar espaços nos programas considerados importantes da TV brasileira.

Acrescendo o componente de gênero à questão racial, mulheres, jovens, adolescentes e meninas são as que têm menos oportunidades, os menores salários e são vítimas de diversas violências. Estamos em 2020, ano em que o ECA completou 30 anos, mas crianças pretas seguem sendo as mais vulneráveis a violências.  Adolescentes e jovens pretos, a partir dos 15 anos, têm 3 vezes mais chances de serem assassinados do que brancos. Quando pensamos na população LGBTQIA+ preta, lembramos que os componentes sociais esperados pela sociedade hetorocispatriarcal não estão presentes. Isso significa pensar todas as violências lgbtfóbicas adicionadas às violências raciais. 

O povo preto não quer ser lembrado só em novembro. Por isso, a construção desta revista manifesto, diversa e multimídia, junto com tantas outras manifestações de diversos setores da sociedade, são de imensa importância e marcam o ano de 2020 na história das lutas antirracistas. 

Leia e compartilhe a revista-manifesto antirracista na íntegra através da página da Viração Educom na plataforma ISSUU

Se preferir, faça o download da revista em PDF