Aprender com o passado,
refletir o presente e,
organizar o futuro

Como tudo começou

 

Paulo Lima, o sonhalista, diretamente de Lagamar, uma favela em Fortaleza, vivenciou os desafios de ser um homem negro em uma sociedade onde a representação, voz e direitos muitas vezes são negados, ao perceber que a mídia tradicional e o sistema educacional frequentemente falhavam em retratar e lidar com as realidades vividas pelos jovens.

Esta percepção foi a motivação pessoal e profissional que alimentou a criação da Revista Viração, em 2003, um projeto social impresso dedicado a retratar um outro Brasil, formando e informando a juventude para o exercício do direito à comunicação. Um reflexo real da sociedade civil organizada, com uma escolha política clara: estar ao lado de crianças, adolescentes e jovens.

Desde o início, a Viração enfrentou desafios significativos, e teve que lidar com situações extremamente delicadas. Apesar dos percalços, foi possível criar uma rede nacional de adolescentes e jovens para uma participação ativa e afetiva que ganhou corpo e se tornou uma organização social focada em idealizar e implementar projetos e programas que buscam mobilizar e empoderar crianças, adolescentes e jovens para o exercício dos direitos humanos e para alcançar uma sociedade mais justa e diversa.

Conheça alguns marcos destes 20 anos de atuação nesta linha do tempo!

O Pra Brilhar pra mim é o início de uma nova jornada que eu tracei na minha vida, de autonomia, de autocuidado, de amor próprio, de entendimento de quem realmente eu sou, é crescimento de informação, conhecimento, engajamento, vida profissional. A Viração pra mim foi um achado!

Samantha Almeida

jovem educomunicadora e cozinheira, participante da Agência Educomunicativa Pra Brilhar

Estou com a Vira desde 2018/2019 e eu sempre falo com muuuuito carinho: foi a primeira organização social que fiz parte e transforma a minha vida até hoje, é extremamente importante para meu desenvolvimento como uma jovem comunicadora, ativista e militante. A minha participação se dá principalmente na AJN, e eu amo. É a minha casa, é onde me sinto ouvida, acolhida e onde a minha voz é ouvida e dissonante! Valeu Vira, tamo junto 💖

Geovana Nogueira

jovem comunicadora da Agência Jovem de Notícias e do projeto MUDE com Elas

Fazer parte da Agência Jovem De Notícias me permite olhar para o entorno e falar sobre o que me atravessa. Se teve algo que me marcou, foi receber a mensagem de uma das minhas irmãs falando que nunca tinha ouvido falar sobre mudança climática e que estaria mais atenta ao tema. No fim, a Vira mostra o quanto educar tem potencial de transformação, e fazer parte disso é lindo!

Vitor Ranieri

jovem comunicador da Agência Jovem de Notícias

Reproduzir vídeo
plugins premium WordPress