Viração participa do encontro de Web Rangers na sede do Google

Inspiração: representantes de 15 países unidos por uma internet mais segura. Assim foi o dia 30/09 na sede do Google em Mountain View, a primeira conferência internacional dos Web Rangers (adolescentes ativistas por segurança e direitos na web), da qual a Viração fez parte.

Web Rangers (ativistas em rede) divindo suas experiências no Google
Web Rangers (ativistas em rede) divindo suas experiências no Google

O projeto começou em 2011, em Israel, quando o Google promoveu um concurso, com ajuda de ONGs, governantes e instituições de ensino, entre jovens que se dispusessem a realizar uma campanha sobre maneiras de se proteger na internet. A ideia fez sucesso e se expandiu para todos os outros continentes.

No Brasil, a Viração é responsável por orientar e engajar os jovens na causa desde 2015. Inspiramos os jovens na causa, deixando sua criatividade fluir na produção das campanhas. Vídeos virais, fotonovelas, blogs, lambes e jornais murais sobre senhas seguras, tolerância online, cuidado ao postar conteúdo e contra o cyberbullying, são produzidos de jovens para jovens, promovendo uma internet mais legal.

Somando os dois anos, já envolvemos mais de 1000 jovens na causa e alcançamos mais outros milhares. Porém, encontramos muitos obstáculos no caminho: escolas sem recursos para produção de campanhas, jovens desmotivados pela situação sócio econômica na qual se encontram, e falta de colaboração governamental. No encontro dos Web Rangers pudemos expor nossas dificuldades e tudo indica que teremos avanços.

Jovens de diversos cantos do mundo reunidos por uma internet melhor
Jovens de diversos cantos do mundo reunidos por uma internet melhor

Iniciativas tão belas quanto a da Vira também foram compartilhadas por outros países. Na Índia, Vaidehi Reddy, uma jovem de 15 anos, visitou dezenas de escolas públicas para orientar crianças e adolescentes sobre os males e benefícios da internet. Ela não teve auxílio de nenhuma empresa, organização ou instituição, apenas de sua mãe. As duas começaram o trabalho depois de uma colega de Vaidehi ter vídeos íntimos expostos na rede por um garoto que ela havia recusado, um caso de pornografia de vingança. Outro caso inspirador é o de um grupo de japoneses que criou um jogo online sobre situações comuns na internet, mas que podem representar grande perigo. Eles programaram o sistema sozinhos e financiaram o projeto, que envolveu horas de pesquisa, além da manutenção de um servidor para o jogo.

Além da militância pela internet segura, os participantes dividiram histórias de como tornar a web um lugar melhor. Um grupo de jovens estadunidenses apresentaram o “Student Voice” (voz de estudantes), uma rede de adolescentes de escolas nos EUA na qual eles discutem a condição de seus estudos e propõem melhorias, com mais espaço para liberdade criativa, currículo mais artístico e flexível, promoção de discussões políticas. Um dos membros dessa rede é um menino refugiado do Quênia que coordena a frente de apoio a estudantes imigrantes e refugiados, contra a xenofobia e a favor da tolerância na internet, na sala de aula e nas ruas. A Vira, com nossos projetos online, como a Agência Jovem de Notícias, nossas produções em redes sociais e vídeos virais em favor dos direitos da juventude também contribui para uma rede mais humana.

apresentação dos jovens do "Student Voice" no Google
apresentação dos jovens do “Student Voice” no Google

A internet é a ferramenta que mais globalizou o mundo. Os problemas online do Brasil são os mesmos da Eslováquia e da Nigéria, da Índia e do Japão, dos Estados Unidos e da Colômbia. O encontro de Web Rangers foi uma oportunidade para as nações se darem as mãos para uma internet mais segura e legal e, portanto, um mundo melhor.