Como a cobertura educomunicativa fortalece a participação

O educador Paulo Freire, uma das principais referências teóricas da Educomunicação, nos ensina que a educação só é possível enquanto ação comunicativa, já que não se trata apenas da transmissão de saberes, mas também da troca de saberes. Ele fala ainda que toda comunicação é, em si, uma ação educativa.

Nesse sentido, a comunicação deixa de ser algo puramente midiático, com função instrumental, e passa a integrar as dinâmicas de formação! Mas onde entra a cobertura educomunicativa nessa história?

Antes de mais nada, é importante entender o que é uma cobertura educomunicativa. Ela se utiliza das técnicas do jornalismo, mas as reinventa por meio processos colaborativos que favorecem uma experiência educativa aos participantes.  

A cobertura edcomunicativa possibilita o exercício deliberado do direito à expressão; a publicização e valorização da perspectiva do adolescente em relação aos diversos temas; o desenvolvimento de habilidades comunicacionais; e a ampliação do repertório sócio-cultural, por meio do acesso a locais, temas e atores diversos.

Além disso, a cobertura é também um espaço de incidência política pois, considerando o ato de comunicar como um ato político, as coberturas são, em si ações políticas, em que é possível sensibilizar, informar e incidir sobre a esfera pública! E é exatamente por isso que a cobertura educomunicativa fortalece a participação, porque ela permite esse espaço de incidência política a partir da comunicação!

A experiência de cobertura educomunicativa com adolescentes e jovens tem sido apontada como um mecanismo importante para ampliar e fortalecer a participação desse público nos debates públicos, como aponta o Relatório Situação da Adolescência Brasileira 2011 – O direito de Ser Adolescente, do UNICEF.

Anualmente, a Vira realiza projetos de cobertura educomunicativa, como a cobertura da 10ª Conferência Nacional dos Direitos Humanos, e da Conferência das Nações Unidas sobre o Meio Ambiente.

Saiba como organizar uma cobertura educomunicativa com adolescentes e jovens