15 anos de história: Causos e prosas da Viração

15 anos não é pra qualquer um, né? Nesse tempo, a Viração acumulou experiências e muita história pra contar. Por isso, resolvemos relembrar algumas delas, entre curiosidades, memórias e causos.

1) Do Ceará pra São Paulo: Como surgiu a Viração?

A Vira foi fundada pelo jornalista e “sonhalista” Paulo Lima. Nascido na comunidade de Largamar, no Ceará, Paulo sempre esteve envolvido com comunicação independente. Quando jovem, foi seminarista e atuou como jornalista e militante! Em 2002 ganhou o prêmio Jornalista Amigo da Criança, da ANDI- Comunicação e Direitos, e um ano depois fundava a Viração.

A Viração nasceu do desejo de fomentar a produção de comunicação por e para adolescentes e jovens, a partir da convicção de que comunicação é um direito humano e comunicar é um ato político. Assim, Paulo Lima e um grupo de amigos sonhalistas, criaram a Revista Viração, uma publicação com um projeto editorial baseado na colaboração, participação e no respeito às diversidades.

15 anos depois, a Viração se tornou uma organização social que busca ser referência por sua atuação em educomunicação, educação entre pares e mobilização de adolescentes e jovens, com 11 funcionários, dois programas de educomunicação e diferentes projetos nas áreas de direitos humanos, direitos da juventude, gênero e sexualidade e meio ambiente.

2) É a Viração ou o Viração?

O nome “Viração” tem diferentes significados, entre eles o que pode ser encontrado em qualquer dicionário: “Vento fresco, suave, que sopra do mar”. Para além do dicionário, “viração” é um termo muito usado entre meninas e meninos em situação de rua no estado do Ceará, se refere à capacidade de enfrentar os desafios e mudanças de forma positiva; resiliência. Além disso, “viração” também é uma brincadeira de palavras, um trocadilho, vira-ação, para provocar a concretização de nossos sonhos e ideias em ações.

É a combinação desses três significados, tão simbólicos e representativos, que justifica o batismo: A Viração. Muitas pessoas falam O Viração, a gente não sabe muito bem o porquê, mas o certo mesmo é usar o artigo feminino, embora a gente não fique bravo com quem fala.

3) A Viração é uma organização internacional!

Em 2009, Paulo Lima se mudou para a Província de Trento, na Itália. Lá, ele conheceu a Associação Jangada, que atuava nas áreas de juventude, educação e meio ambiente e que estava prestes a fechar as portas! Assim, Paulo sugeriu uma parceria entre a associação e a Viração.

Em 2016, a Viração começou a atuar com uma configuração jurídica própria na Itália, a Viração & Jangada, nascida a partir da fusão com a Associação Jangada, que já atuava na Província de Trento nas áreas de juventude, educação e meio ambiente desde 1999.

Além de desenvolver projetos de cooperação internacional com a Viração no Brasil, a organização atua na Itália com projetos de educomunicação ambiental junto à adolescentes e jovens.

4) Chá de redação é o novo chá de casa nova

Quando a Viração montou sua primeira sede, um cantinho no escritório da Associação de Apoio às Meninas Meninos da Região Sé, a equipe resolveu fazer um chá de redação! A Vira precisava montar o escritório, começando do zero, então os/as amigos/as, jornalistas, educadores/as e educomunicadores/as presentearam a organização com xícaras, móveis e materiais de escritório. Quem lembra?

5) Dinheiro de quem não acredita na democratização da comunicação? Não, obrigada.

Em 2015 a Viração recebeu uma oferta: uma doação da Rede Globo, direcionada via FUMCAD, no valor de R$130 mil – quantia exorbitante para o orçamento da organização na época. Após um processo de consulta com a equipe e, claro, com os adolescentes e jovens que faziam parte da rede da Viração, a decisão foi de recusar a doação.

Em resposta à oferta, a Vira enviou uma carta de justificativa, dizendo que a empresa violava alguns dos princípios básicos da instituição, como a democratização da comunicação e o comprometimento com a verdade.

Não contentes, um ano depois a Globo News convidou a Viração para participar de uma roda de conversa.“Não compactuamos com uma empresa que, num momento crítico como o que vivemos, incita o ódio e manipula informações”, respondeu a organização. O convite se tratava de participação em um debate sobre jornalismo colaborativo.

6) Do impresso pro online: como surgiu a Agência Jovem de Notícias?

A Agência Jovem de Notícias foi criada em 2005, durante o primeiro Fórum Social Mundial. Lá, meninas e meninos fizeram a cobertura educomunicativa do evento, comunicando as agendas e ações a partir de suas experiências.

Desde então, a experiência de cobertura educomunicativa vêm se consolidando como um mecanismo importante para ampliar e fortalecer a participação de adolescentes e jovens nos debates públicos, citada até no Relatório Situação da Adolescência Brasileira 2011 – O direito de Ser Adolescente, do UNICEF.

A partir da atuação da Viração & Jangada, na Itália, a Agência Jovem de Notícias tem um portal internacional e independente, a Youth Press Agency, com conteúdos traduzidos para o italiano, inglês e espanhol, gerenciada por jovens de diferentes partes do mundo. Junto com a Youth Press Agency, a Agência Jovem de Notícias cobre eventos internacionais como a Conferência de Mudanças Climáticas da ONU, o Fórum Social Mundial, entre outros.

7) 15 anos de história, 112 revistas publicadas

Sim, 112 edições e muita gente envolvida nos últimos 15 anos de produção da Revista Viração, que deu origem à organização em 2003. Desde então, a revista teve várias periodicidades, chegando a ser publicada mensalmente. Em 2015, passou a ser semestral, temática e de distribuição gratuita, a fim de potencializar a produção de conteúdo online por meio da Agência Jovem de Notícias.

Confira as edições em formato digital aqui.