Adolescentes da PCU produzem campanha colaborativa sobre valorização da identidade negra

Na última quinta-feira, 9 de junho, uma parte dos adolescentes que integram a Plataforma dos Centros Urbanos (PCU), uma iniciativa do UNICEF em parceria com a Viração, participaram de uma oficina de fotografia na Galeria Olido, centro de São Paulo. A escolha do lugar não foi à toa. Lá, acontece parte da programação do 2º Festival Afreaka – Encontros de Brasil e África Contemporânea, um evento que reúne debates, exposições e oficinas em torno da identidade negra.

Os adolescentes da PCU, nesse semestre, discutem a questão do racismo e do genocídio da juventude negra e tem, como objetivo, criar uma campanha colaborativa para valorizar a cultura negra e enfrentar todas as formas de racismo, especialmente sofrida pelo jovem negro de periferia dos grandes centros urbanos.

Até o final deste mês, a turma de 30 adolescentes está empenhada em produzir vídeos virais, memes, gifs e reportagens em texto sobre a questão da juventude negra. As produções da turma serão lançadas nos Fóruns  Territoriais da PCU. O primeiro deles será em Cidade Tiradentes, no dia 28 de junho. 

Sobre a PCU

A Plataforma dos Centros Urbanos (PCU) é uma contribuição do UNICEF na busca de um modelo de desenvolvimento inclusivo das grandes cidades, que reduza as desigualdades que afetam a vida de suas crianças e seus adolescentes, garantindo a cada um deles maior e melhor acesso à educação de qualidade, saúde, proteção e oportunidades de participação. Atualmente,  contempla oito capitais: Belém, Fortaleza, Maceió, Manaus, Rio de Janeiro, Salvador, São Luís e São Paulo. A iniciativa consiste no estabelecimento de uma parceria entre o UNICEF, a Prefeitura e o Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA) de cada uma das cidades em torno do compromisso com a melhora da vida das crianças e dos adolescentes.